O Poder do Dinheiro

O Poder do Dinheiro

O amor ao dinheiro, leva o ser humano, a saber que a qualquer momento, ele pode ser trocado por bens materiais. Esta consciência constitui o comportamento sistemático compulsivo da forma extrema da busca do TER.

A partir desse objetivo, o ser humano, se condena a colecionar só bens materiais, agigantando seu mundo de bens, os quais geralmente não lhe irão satisfazer, por serem inadequados à uma só pessoa, gerando preocupações estressantes, tornando o ser humano, um egoísta compulsivo, “tudo que vê quer”, levando-o ao tédio e à monotonia.

A tragédia do espetáculo do “ter”, gera, no ser humano, um vazio, uma sede de possuir sempre mais do que tem, levando-o a ter a visão que a quantidade substitui a qualidade e o que importa é impressionar os outros com o volume do ter.

O instinto de observação, é a única ferramenta, que o ser humano dispõe, que lhe dará a liberdade de compreender que ele é capaz de fazer a transformação do “ter em ser”.

Sem desenvolver seu instinto de observação, ele não irá compreender que é capaz de fazer essa transformação, aí também terá liberdade, mas desta vez, de desejar a morte dos outros e até dos parentes, os quais estão lhe impedindo de alcançar seus objetivos do “ter”.

Salvador 23 de julho de 2006

Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Este post foi lido 317 vez(es).

Este post foi lido 317 vez(es).