Kabalah, a Ciência das Religiões

Kabalah, a ciência das Religiões

Kabalah, sabedoria do desconhecido.
Movimento do século XIII, na tentativa de interpretar os livros bíblicos do Antigo Testamento, para ser referência de ética e de moral, para o comportamento da comunidade judaica, tornando um sistema filosófico religioso. Esta filosofia religiosa sofreu muita influência do Maniqueísmo, do Zoroastrismo, do Neoplatonismo e do gnosticismo judeu, além de algumas seitas pagãs.
Toda essa filosofia era Monoteísta, foi quando começou a desenvolver a filosofia religiosa do Panteísmo, mas por dificuldade de assimilação, esse Panteísmo ainda tinha vestígios de Monoteísmo. O Gnosticismo judeu foi o mais influente na formação da Kabalah, pois os conceitos das coisas Divinas, foram estruturados nos conhecimentos dos fenômenos transcendentais, narrados pelas experiências emocionais vivenciadas por cada um.

O que é Kabalah?

Kabalah em Hebraico significa: Recebido, Tradição.
É uma Ciência podendo ser chamada de Metafísica.
Seu símbolo máximo é a Árvore Sephirothal.
É a quarta Iniciação na Terra, das sete existentes, tratadas pela Metafísica.
A Kabalah era conhecida na Palestina, pelos Caldeus, pelos Essênios, pelos Faraós no Antigo Egito, pelos Babilônios e pelos Sumerianos desde de 2900aC.

Três campos são abordados pelos cabalistas:
1 – DeusYHWH
2 – A Natureza e o
3 – O ser Humano .
1 – DeusYHWH a Fonte da qual emerge a geração de tudo.
2 – A Natureza é o habitat onde ocorrem as transformações
dos seres e as atuações das seis Energias que
movimenta o Universo, representando as Leis Cósmicas
estabelecidas por DeusYHWH.
3 – O Ser Humano é o fragmento de DeusYHWH mais
inteligente.

O que representa o Sephiroth?

Sephiroth é um Livro Sagrado dos Hebreus, apareceu por volta dos anos 235 e se desenvolveu até os anos 580.
O autor é desconhecido, por ser uma compilação de vários outros Livros, (uma Bíblia), de épocas diferentes desde os anos 3850aC. até 580 de nossa era.
O Sephiroth narra uma filosofia que procura transmitir à todos, os ensinamentos cabalísticos, fazendo uma analogia com a evolução gradual de DeusYHWH, desde o repouso inerte, até a emanação ativa de tudo que está gerando a dinâmica da estrutura do Universo.

Fundamentos da Kabalah

Os Cabalísticos se baseiam nos ensinamentos do Sephiroth, uma coletânea de livros, chamados Sepheres.
1) Sepher Habahir, –
2) Sepher Yetzirah, –
3) Sephira,
4) Sepher Bahir, –
5) Sepher há Zoar, –
6) Sepher Hassidim,
7) Sepher Iqqarim,
8) Idra Zuta A Pequena Assembléia e
9) Idra Rabbah: A Grande Assembléia.
10) Sepher ha- Minhagim a Religião viva

1) Sepher Yetzirah, –
O Sepher Yetzirah (Livro da Criação), obra compilada de
várias outras em 720aC., escrita em neo-hebraico é atribuída
a Abraão (1890aC.), por conter na sua maior parte, a
concepção da origem do Universo e as Leis que coordenam
seus movimentos em linguagem que oralmente veio do
monólogo do Patriarca com a Natureza, numa compreensão
de suas manifestações como emanadas de DeusYHWH,
numa analogia com o alfabeto hebraico em três grupos de
divisões:
a) Uma tríade considerando A M S, chamadas letras mães
b) Uma heptácuplo considerando os sete Planetas
c) Uma duodécuplo considerando os doze signos do Zodíaco

2) Sepher Habahir, –
O Sepher Habahir (Livro da Cabala), é um Livro atribuído a
Nichonia bem Hakana, escrito por volta do ano 4aC., muito
usado para extrair os ensinamentos cabalísticos.

3) Sepher Bahir, –
O Sepher Bahir (Livro Brilhante), atribuído a Isaac o cego de
Narbonne (também chamado Sagui Naor), é o que valeu o
título de “pai da Cabala”, por ser este livro o que mais se
identifica com os ensinamentos cabalísticos.

4) Sepher Hassidim,
O Sepher Hassidim (Livro dos Piedosos), surgiu na época
das Cruzadas (1150 a 1210), espalhando terror aos Judeus,
nessa atmosfera de intensa desespero, surgiu a devoção
religiosa, num movimento Místico-Ascético, “o Hassidut”,
gerando uma das mais belas obras religiosas da época
“o Sepher Hassidim”, em forma de meditação mística e ética
do Rabbi Iehuda bem Samuel (1143 a 1217), conseguindo
assim, manter coesa a união dos Judeus naquelas
condições adversas.

5) O Sepher há Zoar
O Sepher há Zoar (Livro do Esplendor), escrito por Moisés
de Leon (1232 a 1305), uma notável coletânea de ensinos
Místicos, tornando o terceiro Livro Judaico, tão valorizado
na época, quanto a Bíblia e o Talmude.

6) Sepher Iqqarim,
O Sepher Iqqarim (Livro dos Princípios), atribuído a Joseph
Albo (1370 a 1444), versa sobre as discussões dos
problemas gerados nos segmentos dogmáticos, que tiveram
muita força com São Thomaz de Aquino (1225 a 1274), com
isso a filosofia Judaica só voltou a originalidade do
liberalismo religioso, em 1765, com Moses Mendelssohn
(1729 a 1786).

7) Sephira,
O Sephira (Livro Sagrado), é considerado um livro emanado
da Divindade congregando a síntese dos dez Sepheres,
O Sephira, se posiciona na cabeça da árvore Sephirothal
(ensinamento cabalístico), é considerado a inteligência
Divina, sendo a primeira emanação do Absoluto.
Nota: Os três últimos, não são relevantes para comentários.

O Sephiroth contem as dez emanações da Divindade que são:
1) Coroa (Kether);
2) Sabedoria (Chokmah);
3) Inteligência (Binah)
4) Misericórdia (Chesed);
5) Poder (Geburah);
6) Beleza (Tiphereth)
7) Vitória (Netzach);
8) Esplendor (Hod);
9) Fundamento (Jesod)
10) Reino (Malkuth)

O conceito da Divindade que se expõe estas dez emanações, é muito sublime e cada emanação representa para o Cabalista um grupo de idéias sublimes com muito atributos, que para o leigo seria difícil de conceber, levando-o ao erro fatalmente.
A Emanação poderá ser ativa ou passiva, isto não significa nada de negativo, apenas a relação entre duas emanações individuais e não uma condição absoluta.
O Sephiroth é ainda muito divulgado nas colônias Judaicas.

DeusYHWH e a Kabalah

Na Kaballah, DeusYHWH é o Princípio, o número 1 (Amor), que gerou o número 2 (Sabedoria), os dois geraram o número 3 (Vontade) e os Três formaram a Unicidade.
A Unicidade fragmentou em atributos peculiares para
Interagir, como Seres, em todos os Eus (minerais,
vegetais, animais e humanos).
Os Seres (fragmentos de DeusYHWH), ao interagirem
nos Eus, transforma os atributos 1, 2 e 3 da Unicidade
em sete virtudes, a saber:

1º. – O Amor (1)
2º. – A Sabedoria (2)
3º. – A Vontade (3)
4º. – A Inteligência (1 + 2)
5º. – A Compaixão (1 + 3)
6º. – O Altruísmo (2 + 3)
7º. – O Autoconhecimento (1 + 2 + 3)

O Homem e a Kabalah

No nosso Plano, a palavra é princípio da realização.
Dizer uma palavra é evocar um pensamento e fazê-lo presente: O Poder Energético da palavra humana é começo de todas as manifestações no mundo Oculto. Proferir um nome não é só definir algo, mas é criar um fenômeno de vibrações atômicas que irá interagir em todo o Universo.
As Palavras sofrem influências das letras que os compõem e os números correlativos a estas letras.

Como usar a Kabalah

A Filosofia do sistema é capacitar o ser humano de interagir a ciência com a religião, através do sincretismo da Kabalah esotérica com a Metafísica, estabelecendo uma harmonia nestas duas áreas, para interpretar certas leis naturais e agir em harmonia com elas, colhendo os melhores segmentos oferecidos pela estrutura do Universo, sem agressão ao plano Cósmico e sem invocar a influência duvidosa de poderes paralelos imaginários de natureza invisível, e assim, fortalecer o Estado Psíquico,dando estrutura dentro da Lógica e da ética ontológica.

A Kabalah e o mundo da Matéria

O comportamento Humano, seus acertos seus deslizes, sua competência, sua ética, sua moral e as interpretações das Leis, está estruturado no seu Instinto de Observação, impulsionado pelo seu Nível de Estado de Consciência.
Quando o ser humano se realiza em si mesmo, todas as coisas fora dele, são realizadas. A realização é alcançada ponderando as duas Energias atuantes no Eu, a Resultante dos hormônios e a Energia de Agir (Ser), Fontes que estão no Foro íntimo de cada um, que é o seu mundo Esotérico.
O Mundo exterior ou mundo físico dos sentidos, é o mundo das sombras, para serem analisados com as Inteligências; intuitiva, indutiva e a dedutiva, e conscientizarmos que estes fenômenos nos mundos das sombras, nos dão parâmetros para conhecermos os fenômenos dos mundos transcendentais (de outras dimensões).

Você veio neste planeta para adquirir experiência do mundo da matéria, experiência que necessita para sua evolução cíclica no Universo.
Não queira transformar em Absoluto o mundo tridimensional que o rodeia porque ele é mutável e relativo.
Seja um Sábio aprendiz e não um escravo da mutação da matéria, que é uma ilusão dos sentidos.
A Sabedoria Humana está procurando harmonizar o seu agir finito com o agir infinito

Objetivo da Cabala

O objetivo da Cabala é harmonizar a vida dos seres humanos, reintegrando suas forças individuais com as forças cósmicas universais, nas reformulações de seus objetivos no eterno vir-a-ser.

Mensagem

Não lhe foi ensinado como se comportar neste passeio, onde deveria só colher experiências de tudo que era útil, agradável e bom e refutar tudo o que era inútil e desagradável. Mas, também não lhe foi ensinado Amar tudo ao seu redor, no mundo visível, no entanto, se não souber amar, não poderá viver na harmonia com todos e não irá contribuir para a fraternidade Universal.

Salvador – maio – 2007
Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Editado por – Charrir em 25 Maio 2007 23:19:35

Este post foi lido 292 vez(es).

Este post foi lido 292 vez(es).