Cultura sem Ética e sem Moral…é Delinqüência

Olá amigos leitores, eis mais um artigo polêmico. Abraços…charrir

Cultura sem Ética e sem Moral…é delinqüência.

Estamos assistindo as propostas dos vários candidatos e o que vemos e ouvimos são repetições de vídeos tapes coloridos das versões dos vídeos tape preto e branco antigos.
Ora quaisquer eleitores conscientizados, sabem que intenções individuais, não tem nenhum valor numa política corporativista como a nossa falsa democracia, que mas se parece com um regime capitalista autoritário, em que todos são reféns do dinheiro, em outras palavras quem tem dinheiro consegue tudo, Liberdade, impunidade, ser Deputado, Senador, Vereador, Prefeito, Presidente, Governador, e o pior, com verbas adicionais do próprio governo, haja vista, o horário político gratuito que custa aos cofre públicos a cifra de R$ 191.000.000,00 (cento e noventa e um milhões de reais).
Assunto publicado na Internet com título: Eleições 2006, segunda, 14 de agosto de 2006, às 17h10, Propaganda “gratuita” custa R$ 191 milhões para a União”.

Ora quanto mais rico for o candidato e o seu partido, maior será seu quinhão de tempo na Televisão e no Rádio.
Sabemos que 40% da nossa população, é analfabeta, não tem noção do que seja Ético ou Moral, a começar por propor aos candidatos (por força da obrigatoriedade do voto), barganha pelo voto, daí quem tem mais dinheiro oferece mais e o eleitores analfabetos nunca irão tomar conhecimento dos estragos provocados pelo seu candidato na esfera administrativa do País. Ora quem compra o voto, não tem nenhuma obrigação de prestar contas aos respectivos eleitores.

Somos 185 milhões de habitantes, cerca de 120 milhões de eleitores, 40% deles são analfabetos, ou seja, 48 milhões de votos para serem comprados pelos nossos politiqueiros ricos. Pode-se chamar isso Democracia?
Por outro lado, os candidatos sem qualificação, principalmente aqueles oriundos dos famigerados sindicatos, que fazem do sindicalismo trampolim para galgar cargos políticos e só sabem usar a tática de acusação aos outros, como forma de se promoverem. Às vezes, esses candidatos, não têm o mínimo de conhecimento de Leis, no entanto, usam e abusam da bandeira sindicalista, com suas Leis peculiares, próprias das categorias, ou sejam:
1 – Levar vantagens em tudo.
2 – Nossos direitos primeiros.
3 – O fim justifica o meio.
4 – Os Bem sucedidos, têm que ajudar os preguiçosos.
5 – As Terras que julgamos improdutivas têm que ser invadidas.
6 – Os Prédios que estão desocupados têm que ser ocupados.
7 – Temos que trabalhar a metade (semana de 30 horas) e
ganhar o dobro.
Essa cultura do povo de baixa escolaridade, não pode ser modificada a curto prazo, são necessário no mínimo 30 anos. Como um Político candidato pode propor uma modificação desta em 4 anos? Um sistema que já vem adulterado há n-centos anos.

No debate dos candidatos à presidência da República na Tv Bandeirantes, o que se viu foi um vídeo tape de outros debates, quem sabe, talvez da época em que Nabucodonosor I, queria ser presidente da Babilônia. O que não falta nestes debates, é repetição dos problemas que a população está “careca” de saber.

Comentários:
1 – Geraldo Alckmin, (PSDB), pesa sobre ele toda a responsabilidade dos efeitos provocados pelas causas (ação ou omissão), de seu governo e de outros anteriores, também em escalas crescentes. No entanto em nenhum momento ele assume essa responsabilidade. Conclusão sua administração na Presidência da República, será uma super produção de um filme que não trás novidades, porque já assistimos.

2 – Heloísa Helena (PSOL), por ter sido expulsa do Partido dos Trabalhadores, traz no bojo de seus discursos o ressentimento dessa expulsão. Apresenta muita garra e disposição para governar o País, só esquece que ela terá um congresso corporativista, por excelência, com a bandeira “toma-lá-dá-cá”. Ela não dará um passo dos seus propósitos, e ainda mais, os militantes do PT, são vingativos, em hipótese alguma vão querer seu sucesso. Seus propósitos são excelentes, mas como disse Lair Ribeiro; “Intenção sem ação é Ilusão”.
Com certeza suas intenções serão “solapadas” no nosso grande congresso.
Que em certas circunstâncias se assemelha a um grande balcão de troca de mercadoria (favores), Haja vista a absolvição dos envolvidos no mensalão.

3 – Cristóvam Buarque (PDT), com sua nota só, a proposta exclusiva da Educação. Não é só Educação que vai resolver os problemas do Brasil, é preciso conscientização das gerações, e isso leva no mínimo 30 anos. Temos que começar nos cursos maternais, a desenvolver a consciência da Ética e da Moral. Gostaria que o nosso amigo Cristóvão, tomasse consciência que; Educação sem Ética e Moral é delinqüência. Veja os comportamentos de grande parte dos nossos políticos em todos os níveis. Todos eles são cultos.
O que adiantou a cultura para esses vermes corruptos e mentirosos da Nação? Daí meu amigo, não pense que só cultura resolve os nossos problemas.
É preciso descer às raizes dos problemas.

4 – Luciano Bivar (PSL), como desconhecido mostrou que conhece os gargalos dos problemas do Brasil, mas mostra infantilidade nas propostas, ignorando que não irá obter maioria no congresso e para governar com suas propostas, a Nação pagará muito caro nas negociatas no balcão de favores com as bancadas dinâmicas (mudança de partidos), na célula máter do congresso, que é o corporativismo, onde estão envolvidos os políticos mais “vivos”, devido o sistema utilizar o voto secreto.

5 – José Maria Eymael (PSDC), como desconhecido também saiu bem, principalmente ao evocar para si, toda a responsabilidade dos fatos, que por ventura venha acontecer na sua administração. Também esqueceu que ele não terá maioria no congresso e para governar nessas circunstâncias, necessário se faz o jogo do “toma-lá-dá-cá”, e o preço será muito alto. Sem utilizar a máquina corporativista do atual congresso, ele não poderá contar com a maioria dos deputados, sem a maioria, ele não vai ter chance de dizer “agora é comigo”. Mesmo assim merece votos pelo senso de responsabilidade.

6 – Quanto a ausência do Presidente Lula, foi até bom. Com a presença de Lula, os enfoques tomariam outro rumo, sempre no sentido de procurar desclassificar seu governo.

Nota 1;
O Presidente Collor de Melo, fez muitas promessas em campanha.
Após assumir a Presidência tentou cumprir suas promessas, mas esbarrou no “cartel” do congresso, como não quis fazer acordo, não pode fazer nada a não ser confiscar o nosso dinheiro que todos sabemos. Mas esta citação do Presidente Collor, neste artigo, está vinculado a uma entrevista que um repórter fez a ele (infelizmente não me lembro da emissora nem o repórter nem a data, que nas conjunturas atuais, não é relevante), mas vale a pena registrar;
O repórter perguntou:
V. Excia. Acha que está cumprindo suas promessas de campanha, e se
julga um bom Presidente?
Responde o Presidente:
Duvido que algum Presidente cumpra suas promessas e faça um
bom governo, com esse congresso corporativista, que aí está!
Resultado:
Os Deputados, ajudados pelos sindicatos que são instrumentos de manobras de politiqueiros, arranjaram um impeachment, e colocaram Collor para fora da Presidência.

Nota 2:
Nenhum dos cinco candidatos abordou o futuro relacionamento com o congresso, mas tenha certeza eles conhecem o corporativismo do sistema, faltou coragem em cada um, para enfocar o verme do sistema (cartel dos deputados), e sua harmonia para a governabilidade.

Nota 3:
Diante do que foi exposto, o leitor poderá concluir que, se somente cultura, fosse suficiente, não teríamos quadrilhas de advogados, de juízes, de políticos, de funcionários públicos, de dirigentes, de policiais, de comerciantes, de sindicalistas, de religiosos e de profissionais autônomos, todos mentirosos, que vivem atropelando a Ética e à Moral, em busca de levar vantagens.

Nota 4:
Devo esclarecer, por ter mais de 70, não voto, daí poder repudiar nessa política, que chamo capitalogracia, dado essa falsa democracia, se estruturar em bases monetária. Nos períodos eleitorais, coloco nos vidros laterais e traseiros, do meu carro, grandes cartazes dizendo: – “Não me peça Votos. Rasguei meu título por sentir vergonha das mentiras dos candidatos” –
Para mim 90% dos políticos atuais, não têm compromissos com a Ética nem com a Moral.

Este artigo, Cultura sem Ética e sem Moral…é delinqüência,foi feito para retratar os comportamentos de nossos políticos, procurando conscientizar os leitores, para uma reflexão geral, sobre os reflexos desses comportamentos sobre todas as classes da população brasileira, com vistas à degeneração moral e a violência que assola o nosso País.

Nota final:
Devo ressaltar a esperança que paira na consciência dos brasileiros, ao ver a postura digna desses jovens procuradores e promotores que procuram valorizar a Ética e a Moral, criando no Brasil um ambiente fértil para o renascimento de uma nova geração, onde a consciência dos valores Éticos e Morais, estarão presente em todas as classes.

Salvador 17 de agosto de 2006

Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Editado por – Charrir em 18 Agosto 2006 00:16:06

Este post foi lido 377 vez(es).

Este post foi lido 377 vez(es).