A Dinâmica da Vida

Olá amigos, eis-me com novo artigo, desta vez com A Dinâmica da Vida. Também muito polêmico, mas com boa vontade dá para entender.
Abraços…charrir

A Dinâmica da Vida

Vamos conhecer algumas das variáveis, que movimenta o nosso Universo, para tirarmos a conclusão do que seja a vida.

Com o conhecimento das Energias Física, Fohah, Prana, Kundalini e Cósmica (artigo já publicado neste Portal), iremos compreender as ações de cada uma, na estrutura do Universo.
As ações das Energias Físicas, forma uma estrutura gerando trabalho.
As ações das Energias Fohah, forma uma estrutura gerando Energia Prana.
As ações das Energias Pranas, forma uma estrutura gerando Energia Kundalini.
As ações das Energias Kundalini, forma uma estrutura gerando Energia Cósmica.

Devemos conhecer os quatros reinos atuais;
O Reino Mineral, o Vegetal, o Animal e o Humano.
Devemos recordar o que sejam:
O Ser, o Eu, a Alma e o Espírito.
O Ser é o fragmento Divino que habita em nós
O Eu é a parte densa (física), que esta vivendo no plano físico.
A Alma é a decodificadora dos símbolos emitidos pelo Ser, para converte-los para os cinco sentidos do Eu.
O Espírito é a Alma após ter colhido as experiências e ter livrado das cascas.
O Espírito, após o ciclo se integra à Divindade (YHWH).
A Divindade (YHWH), fragmenta em partículas Monadas.
A Monada entra no feto, no intervalo do sexto ao sétimo mês de gestação. Aos sete anos, a Mônada torna-se Ser, Alma e Eu.
O Eu torna adulto aos dezesseis anos.
A Alma torna adulta aos vinte e um anos.

Agora vamos analisar as inter-relações entre esses quatro entes, Ser, Eu, Alma e Espírito, na estrutura do Universo e a função de cada um, nos quatro Reinos.

Assim estão distribuídas estas Energias:
O Reino Mineral, está inserido no plano, onde só atua a Energia Física. Nesse Reino, só está presente o Ser. Não há morte, só transformação e produção de trabalho.

No Reino Vegetal, está inserido no plano, onde atuam as Energias Fohah e Prana. Nesse Reino, estão presentes, o Ser e o Eu. Na morte o Eu desaparece e o Ser volta para a Divindade (YHWH).

No Reino Animal, está inserido no plano onde atuam as Energias Fohah e Prana. Nesse Reino, estão presentes, o Ser, o Eu e a Alma. A Alma é limitada, só decodifica os símbolos correspondentes aos instintos de conservação. Não há evolução. Na morte, o Eu desaparece, a Alma como simples decodificadora, não tendo responsabilidade com o Eu, se integra ao Ser e retornam ä Divindade (YHWH).

No Reino Humano, está inserido no plano, onde atuam as Energias Fohah, Prana e Kundalini. Nesse Reino, estão presentes; O Ser, o Eu e a Alma. Nesse Reino, a Alma é responsável pelo desenvolvimento humano, decodificando os símbolos emitidos pelo Ser, convertendo-os para os cinco sentidos do Eu.
O Eu é o instrumento de aprendizado da Alma.
É no aprendizado que aparecem as cascas.
Na morte, o Eu desaparece, a Alma leva as cascas criadas pelo Eu, no chamado foco da consciência para o Plano Kundalini.
No Plano da Energia Kundalini, onde a energia opera no foco da consciência, no sentido de alijar essas cascas, só então, a Alma segue com o Ser, até purificar, recebendo sabedoria, tornando-a Espírito, na transmutação Divina ao retornar à YHWH, para um novo ciclo de vida.

As Almas, as vezes, não tomam consciência do dever de descartarem essas cascas, se apegam aos resultados das emoções prazerosas, que as cascas lhes proporcionaram, acabam não se purificando, e com isso, procuram transmitir mensagens aos seres vivos, na ânsia de levar as suas verdades ao mundo atual, sem se dar conta, que toda sua sabedoria, já foi ultrapassada.

Santos Janeiro de 2006
Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Este post foi lido 325 vez(es).

Este post foi lido 325 vez(es).