Vamos Viver a Realidade Gnóstica na UNICIDADE

Vamos Viver a Realidade Gnóstica na UNICIDADE.

Vamos analisar esta Metáfora, numa reflexão inteligível.

Num acidente de carro, morreram o pai a mãe e dois filhos, sendo que a terceira criança, de apenas 2 anos, sofreu apenas algumas escoriações.          A Polícia Rodoviária fez a perícia, providenciou o Rabecão, para recolher os corpos e encaminhou a criança para o Hospital, para os devidos curativos.       Dr. Jorge, que dirigia seu carro, vinha logo atrás, parou e todos os ocupantes, a Pra. Lourdes, sua esposa e cinco filhos, que tinham visto como aconteceu o acidente, desceram e acompanharam toda a remoção dos corpos. Sabendo que a criança estava viva, com apenas escoriações, Dr. Jorge se ofereceu, ingenuamente, para cuidar da criança, mas por lei, não foi possível.               No Hospital, Dr. Jorge se interessou em acompanhar o tratamento da criança e percebeu que, decorridos oito dias, não havia aparecido nenhum parente para levar a criança. Nestas condições, a direção do Hospital, sabendo que a criança, já estava completamente curada, deveria providenciar a ida da criança  para um abrigo de menor, para adoções. Foi aí que o Dr. Jorge se apresentou como o primeiro interessado, iniciando o processo de adoção que durou 22 dias. Finalmente, o casal estava levando mais uma filha, para completar um sexteto, de filhos na família, porque cinco já existiam, na seguinte ordem; Eduardo 11 anos, Marta 10, Kátia 8, Filipe 6, Carlos 4 e nova Vitória (nome dado por ela ter saído viva do acidente) com 2 anos.

Vitória convivia com os cinco irmãos, com as mesmas mordomias dos cinco irmãos, numa inocência do passado. Eis que aos 9 anos, descobriu a verdade, ficou meia triste, ao mesmo tempo, sentiu-se gratificada, pela dignidade que seus pais adotivos lhe tratavam, com o mesmo carinho, que dispensavam aos outros cinco filhos e as vezes até um pouco mais, daí estar sempre preocupada em obedecer seus pais adotivos, por sentir muita confiança neles.

Eduardo aos 23 anos formou-se em Advocacia, Marta formou-se em odontologia aos 22 anos, Kátia formou-se em Engenharia aos 24 anos, Felipe formou-se em Administração aos 22 anos, Carlos formou-se em Engenharia aos 23 anos e Vitória formou-se em Medicina aos 22 anos.

Passados 25 anos, do acidente do carro, Vitória agora com 27 anos, Médica bem sucedida, era a única que ainda continuava morando com os pais, haja vista, que todos os outros, já haviam casados e morando em outras cidades. Neste ano Vitória, que já era noiva de um Médico, Dr Augusto, resolveu se casar, mas, por GRADIDÃO, não queria deixar seus pais, Dr. Jorge com 63 anos e Pra. Lourdes com 60 anos, morarem sozinhos. Vitória querendo dar mais conforto aos pais, convidou-os para visitar alguns condomínios.

Percorrendo os condomínios fechados, a procura de uma casa que também agradasse os pais, encontraram uma que parecia um paraíso, embora o preço era alto, MAIS SEUS PAIS MERECIAM, por ser sempre conscientizada de que “Ela era o que é, graças a este casal que me criou, educou com muito amor”. Comprou a casa bem grande, num Condomínio muito arborizado, com jardins, além disso, Dra. Vitória queria proporcionar o máximo de aconchego e proteção, com emoções sentimentais de amor, que fossem gratificantes, para os pais, assim, mandou construir um pequeno apartamento anexo à casa, aconchegante, bem moderno e prático, para que eles se sentissem dono de seu habitat, com uma proteção amorosa toda especial de Vitória, para que eles sentissem a liberdade de fazer, suas próprias festinhas, já que todo mundo gosta de ter seu próprio canto, receber os amigos e o apoio dos amados filhos.

Esta foi a Metáfora…

Agora vejamos o que REALMENTE está acontecendo no nosso Mundo.

A compreensão do que está escrito, só é possível, para aqueles que têm convicção de estar vivendo numa UNICIDADE, ou seja, todas as coisas existentes no Universo, são FRAGMENTOS de um todo, que eu chamo DeusYHWH.

Não vamos preocupar com todos os filhos do casal, vamos fixar em Vitória por se assemelhar, nesta comparação, como sendo cada um de nós.

O Casal, nesta comparação, vamos considerar, DeusYHWH, que nos gerou.

 

DeusYHWH gerou cada um de nós, está educando e amando, daí, o dever e a responsabilidade de obedecê-LO, conforme o grau de confiança, que cada um tem em DeusYHWH.

A – Não existe Livre Arbítrio, Plantou vai ter que Colher:

B – Obedecendo vai aprender a plantar, aí a Colheita será o Nirvana*.

C – Não obedecendo não vai aprender a plantar…aí a Colheita será o CAOS.

Obs: Não adianta pedir perdão, as figuras religiosas não vão livrar da colheita.

 

Nota (*) Nirvana é uma excelente qualidade de vida, usufruindo o máximo conforto, com emoções fraternais, em harmonia com pessoas amadas, vivenciando EMOÇÕES gratificantes:

  • Na metáfora, Vitória com seus Pais adotivos.
  • No caso de cada um, a Realidade Gnóstica na UNICIDADE com

 

Procedimentos incompatíveis com a Realidade Gnóstica na UNICDADE.

A – Devemos sofrer para nos purificar, sofre o Eu e o SER. (Deus Masoquista)

B – O Sofrimento que nos garante a salvação. (Um Deus Maquiavélico)

C – Devemos temer a Deus.   Estamos temendo a nós mesmos

D – Somos pecadores. UM fragmento de DeusYHWH pecar…..um absurdo

A Realidade Gnóstica na UNICIDADE afirma; Que dentro de cada um de nós, há um Ser Holotípico Divino (fragmento de Deus YHWH), monitorando os genes de expressão do DNA, daí a obediência, para conquistar o Nirvana.

 

Conclusão;

A Metáfora mostra que por gratidão, Vitória, está convivendo com os pais adotivos, dando o máximo de conforto a eles.

A Realidade Gnóstica na UNICIDADE, mostra que por gratidão, nós Seres Humanos, estamos convivendo com os Seres Holotípicos Divinos (fragmentos de DeusYHWH), devendo dar o máximo de conforto à ELES.

Salvador 21 de agosto de 2018

Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Este post foi lido 291 vez(es).

Este post foi lido 291 vez(es).