O cérebro Humano

Olá leitores deste conceituado Portal. Segue mais uma mensagem, desta vez muito polêmica. Espero que gostem. Abraços…charrir

O Cérebro Humano

Um computador Quântico

O cérebro humano pode se dividir em duas partes principais:

1a) A parte Física

2a) A parte Ontológica.

1) – A parte Física

1a) – A Meninge

1b) – Lóbulo direito e lóbulo esquerdo

1c) – Cerebelo

1d) – Córtex cerebral

1e) – Massa branca

2) – A parte Ontológica

2a) – O Ser

2b) – A Alma

2c) – O Eu

3d) – O Pensamento

2e) – A Mente

2f) – Energia de Agir

2g) – Resultante dos Hormônios

2h) – O Instinto de Observação

2i) – A Inteligência

2j) – As duas Consciências

2k) – A Memória

Vamos dar o signo de cada uma destas divisões

(signo é o número de palavras usadas para conceituar algo)

1) – Parte Física

1a) – Meninge é constituído de três camadas de tecidos
membranosos (pia, aracnóide e dura mater), que envolve
e protege a massa encefálica e o cordão espinhal.

1b) – Lóbulo direito e lóbulo esquerdo, são as partes mais
volumosa do cérebro.
No lóbulo direito, estão os neurônios responsáveis pelas
artes, pelas criatividades e pelas atividades artísticas.
No lóbulo esquerdo, esquerdo, estão os neurônios
responsáveis pelos trabalhos manuais e as atividades
físicas.
Nos lóbulos fica a rede dos neurônios, formando uma malha,
que recebe os impulsos iônicos, dos neuro transmissores
(hipotálamo)

1c) – Cerebelo, localizado na parte traseira do cérebro,
sendo responsável pela coordenação dos músculos e do
equilíbrio do corpo.

1d) – Córtex cerebral, situado fora dos dois hemisférios, onde
está a massa cinzenta, constituída de corpos de células
nervosas, e também, de fibras nervosas.

1e) – Massa branca, é uma porção do cérebro que contem
aglomerados de células nervosas, simples e longas,
formando feixes condutores com ventrículos cheios de
fluidos cerebroespinhal, que irão atuar nas respectivas
funções dos órgãos nas seqüências das reações catalisadas
pelas enzimas utilizadas nos protoplasmas.

2) – A parte Ontológica

2a) – O Ser é o Fragmento da Energia Divina, que habita em
todos os seres vivos, sem nenhuma discriminação.

2b) – A Alma é a decodificadora das mensagens do Ser
para os cinco sentidos do Eu

2c) – O Eu é o instrumento de aprendizagem da Alma.

2d) – O Pensamento é o disparo da imagem de um projeto do vir a
ser, que deixa registro na memória, com as perspectivas
de ser realizado.

2e) – A Mente é o campo onde atuam o Eu, o pensamento, a
consciência física, as emoções dos cinco sentidos e a
resultante da somatória das energias dos hormônios das
nossas glândulas endócrinas.

2f) – Energia de Agir. A Alma como decodificadora do Ser, tem o
compromisso de prestar contas ao Ser sobre o comportamento
do Eu. Durante a prestação de conta da Alma com o Ser, que
é muito sutil, o Eu deverá estar atento, para perceber o
gradiente do relacionamento entre a Alma e o Ser e sentir
nesse gradiente, o potencial da Energia de Agir n’Ele, o
qual irá aguçar seu Instinto de Observação, que é a única
ferramenta que o ser humano recebe gratuitamente da
Natureza, para superar seu limite neste Plano físico.
Ora uma consciência rude, hibernada, manipulada por
terceiros, dificilmente perceberá esse gradiente.
Infelizmente, a maioria não tem consciência de que, dentro
de cada um de nós, habita o Ser (um fragmento de
DeusYHWH). Sem essa consciência, essa maioria não irá
perceber as prestações de contas da Alma com o Ser, tão
necessários à qualidade de vida. Não havendo tais
prestações de contas, o Eu não tem chance de ficar
atento, não sofrerá influência da Energia de Agir e seu
Instinto de Observação desaparece, o que leva essa maioria
a viver somente, seguindo as resultantes das somatórias
das energias dos hormônios das glândulas endócrinas em
buscas de grandes emoções.
Assim podemos compreender que todas as ações humanas
deveriam ser produtos das Energias de Agir, emanadas pelos
Seres que habitam neles.
Mas também existe a resultante da somatória das energias
dos hormônios das glândulas endócrinas, que o Eu também
sofre imposição para cumpri-la. O Eu se cumprir somente a
orientação decodificada do Ser, alcançaria um patamar
básico tranqüilo no se ficar e viveria condicionado em bom
padrão de vida, mas estagnado. Para evitar a estagnação, a
própria Natureza criou as glândulas endócrinas, para
produzir os hormônios com energias emocionais, cuja
somatória, produzirá a tal resultante no Eu para o se ir,
buscando novas emoções no desconhecido, as quais possam
lhe dar motivação para viver. A falta de ponderação entre
a Energia de Agir, (mensagens decodificadas do Ser) e a
resultante, leva o ser humano a extrapolar na busca rápida
de várias emoções, seguindo somente as resultantes, por
serem mais vibrantes levando-o a cometer ações repudiadas
pela sociedade e pela justiça que o condena. São poucos
os que conhecem esse mecanismo do sistema. Seguindo
somente as emoções hilariantes do se ir, produzidas pelas
resultantes, dificilmente o ser humano volta a seguir
as orientações do Ser, decodificadas pela Alma, pois
estas, já não produzem as emoções necessárias que
satisfaça seu referencial de vida.
Assim podemos afirmar que qualquer ação do ser humano,
será o cumprimento da Energia de Agir (orientação do Ser
que habita nele) ou da Resultante da somatória das
energias produzidas pelos hormônios das glândula
endócrinas.

2g) – Resultante é a somatória das energias produzidas pelos
hoemônios das glândulas endócrinas e das células a elas
associadas, que fazem parte do aglomerado de órgãos,
gerando a vida, os quais seguem as Leis elaboradas
por uma inteligência superior, coordenadas por um Ser
(partícula da Divindade), que está dentro de cada um,
mecanismo esse, que não tem sua participação, por
transcender a inteligência comum.

2h) – O Instinto de Observação é uma condição nativa de qualquer
ser vivo, é mais desenvolvido no ser humano, pôr fazer
registro na memória das experiências vivenciadas, é a
única ferramenta que ele dispõe para vivenciar com
consciência, dentro dos segmentos Lógicos, Científicos,
Espirituais e Filosóficos, os conteúdos simples, que o
leva a desenvolver sua Estrutura Psíquica e sair da
ignorância aprendendo a arte de pensar sem medo, que é
a chance que ele tem, para superar sua limitação psíquica,
imposta pelo local, condição econômica e família (DNA),
berço do seu nascimento. Fora do instinto de observação,
dificilmente ele terá uma boa qualidade de vida e
chances que possam lhe dar motivação, para sair do lugar
comum e superar sua limitação, neste Plano Físico.
Se não desenvolver seu Instinto de Observação, seu nível
de inteligência ficará comprometido, ficando seus
conceitos das “coisas que são verdadeiras e reais”,
mutilados.

O exercício do Instinto de Observação, é a busca do “auto
conhecimento” através das vivências sem a conotação egoísta.
Quaisquer conhecimentos sempre se baseiam em fatos reais, foi
coletando fatos que a história passou a existir, e os
fatos estão sempre relacionados com o tempo e as épocas, basta
usarmos nossos instintos de Observações.

O Instinto Natural, tem uma escala muito ampla, com vários
estágios, começando com:
Instinto de Conservação
Instinto de Observação
Instinto de Inteligência
Instinto de Empatia
Instinto de Interação
Instinto Divino

A mudança de um estágio para outro, é a inter face do sistema,
acontece quando uma glândula endócrina de nível mais elevado,
elabora seu hormônio, para interagir e superar os efeitos do
hormônio da glândula atuante. Estes fenômenos só podem ser
observados, quando utilizamos a Física Quântica, no Princípio da
Incerteza de Heisenberg (1901 – 1976), utilizando duas pessoas,
com influências de hormônios diferentes, observando o mesmo
fenômeno.
O uso do Instinto de Observação, leva o ser humano, ao Auto
conhecimento, melhorando sua estrutura psíquica, tornando-o
“Competente”, com maior grau de liberdade.

2i) – A Inteligência é estruturada na memória e no uso da Mente.
Deverá ser desenvolvida com a prática do instinto de
observação, com perseverança e auto disciplina, em
conexão com o Ser, Fragmento Divino, que está dentro de
cada um, sem querer levar vantagem, procurando tornar-se
íntimo desse Ser, sem bajulação, sem sacrifícios, sem
reverências fantasiosas e sem interesses materiais.

Biologicamente devemos compreender que:
O nível de condensação de energia numa determinada área do cérebro, nos componente dos neurônios, é que distingue quem usa mais a memória do que outro. Os disparos iônicos (elétricos) em determinada área, condensam energia nos neurônios dessa área, estimulando o cérebro, com energia de insatisfatoriedade, a qual irá despertar no Eu, o se ir, buscando novos objetivos, nas áreas desconhecidas, é aí que aparece a inteligência.
Como todos os neurônios, formam uma malha energética única, a condensação de energia numa determinada área, facilita os neuro transmissores (hipotálamo), a aumentar o nível de energia iônica em toda a malha neurônica do cérebro, a qual irá despertar no Eu, o se ficar, criando nele, a possibilidade de permanecer naquele estágio de satisfação.

A virtude pela qual se conhece a realidade e se exerce controle sobre o Eu, é o fator principal para o se ir.

Para compreender esta linguagem, devo estabelecer os significados dos seguintes:
1) – Se ir, é ser mutante e ousado, para buscar, a verdade, no
desconhecido.
2) – Se ficar, é não ser mutante e acomodado, para buscar, a
verdade, na imitação.
3) – Se disponibilizar, é administrar o Eu por compreensão e não
por repressão.

A consciência da sistemática dos estágios (mutações) de uma personalidade, descrevendo as instâncias do Eu, seus desejos, suas construções, seus amores, seus deslizes com estágios alternativos, ora superiores, ora inferiores, mostrando o vazio do se ficar (não mutante), ao sentir o se ir (mutante), desenvolve a inteligência humana e a confiança em si, a ignorância desta sistemática, tira
a chance do ser humano de conhecer-se a si mesmo.

2j) – As duas Consciências
Consciência Física, é o monitor, não tem memória, mas é
o instrumento de aprendizagem da Consciência Cósmica.
Consciência Cósmica, é o processador, das coisas
observadas pela Consciência Física, fazendo o registro
na memória. Para obtermos os detalhes, do que queremos
saber, usamos o pensamento, que tem o código de acesso,
(senha), à memória, onde está a Consciência Cósmica, que
irá processar, as coisas que estamos observando com a
Consciência Física (monitor), nos dando as respostas
desejadas.

2k) – A Memória é campo do cérebro (HD), onde estão os
registros das vivências experimentais de todos os
fenômenos, envolvendo as áreas, que contribuíram
para os aparecimentos dos fatos registrados. Tem mais
memória aquele que tiver maior número de registros.
Na memória vamos encontrar;
O Ser, a Alma, o Eu, o Instinto de Observação, a
Inteligência e a Consciência Cósmica, atuando em
estâncias bem demarcadas. Para o ser humano comum,
tudo aqui descrito faz parte da Mente, não consegue
separar as ínter faces das estâncias dos elementos
citados. Realmente é muito difícil perceber estas
demarcações, por serem muito sutis as inter faces
destes elementos e também pelas limitações do uso da
memória de cada um, conforme segue:
O ser humano usa de 2% a 46% de sua memória.
Na Dicotomia, (microcosmo separado do macrocosmo), é uma ótica da inteligência horizontal, os eventos por estarem num anel horizontal cheio de lugares comuns, são sempre repetições, ou imitações, terminando numa “receita de bolo”, dada pelos intermediários, para a busca de respostas no conhecido.
Quem costuma ler, vai verificar que 90% dos escritores, escrevem com a ótica da Unicidade (microcosmo é parte do macrocosmo), o micro é holotípico do macro.
Na Unicidade os Eventos por estarem numa espiral ascendente, serão sempre novidades, não existem lugares comuns nem “receita de bolo” para a busca de respostas no desconhecido.

Para saber a utilização da capacidade de nossa memória, devemos usar a matemática através da fórmula:

Y= 2(elevedo a x) onde o Y é a capacidade da memória e o x é o numero de eventos (profissões) exercidas com competência e pode variar de 0 a 6,4. Cada Evento pode ter valor de 0,1 a 1,0 Máximo de Eventos possíveis em uma memória é 64. Neste caso, a competência de cada Evento, é de 0,1, o que daria…64 x 0,1 = 6,4.
Esta curva é fruto de uma pesquisa feita por mim, ao longo de muitos anos, logo é uma introdução na minha literatura, que me possibilita a avaliar matematicamente, o uso da memória. Tomei por extremos, Mendelejev 46% (superior) e um olhador de carro 2% (inferior), a curva é logarítmica. Todas as coisas no mundo, podem ser epresentadas em funções matemáticas. Procurei uma fórmula matemática que me pudesse facilitar as análises das utilizações da memória de cada um. Tomei o cuidado de observar, que existe muita diferença entre os usos de cada uma dessas funções, para isso, dei as funções um valor matemático, para garantir a comparação e a precisão dos resultados.
É preciso pesquisar a capacidade do ser humano, a ser analisado, para chegar a um resultado real, que não deixe dúvida quanto ao *resultado* da forma matemática.
No critério foi adotado como limite:
Mmáximo 46%, valor usado pelo Gênio Dimitri Ivanovitch Mendelejev (1834 – 1907).
Mínimo 2%, usado pelo “olhador” de carro das ruas.
Nós os seres vivos, somos Fragmentos da Essência Máxima de Energia Cômica, com aspecto de Luz Condensada.
O ideal é usar conceitos estruturados no campo da lógica, mais adequada, ao problema que temos em nossa frente. Quando olhamos para o Universo com olhos integrados, sentimos a Empatia com a Natureza, sentimos nossos neurônios serem ionizados, o que caracteriza estarmos usando a memória, o importante, para a utilização da equação Y= 2x
O conhecimento é uma manifestação involuntária, não pode ser manipulado, nasce na vivência experimental e da interação daquilo que queremos conhecer.
O Conhecimento é uma característica adquirida por um segmento que depende muito do meio em que está vivenciando.
O meio poderá manipular o conhecimento do indivíduo, é o que acontece com os fanáticos e com os radicais.

Quem não consegue distinguir a Fé do Conhecimento, será muito difícil
desenvolver o potencial de uso da memória.
O conhecimento, pode trazer avanços para a humanidade, para isso, é necessário critérios de verificações, para se saber o coeficiente de utilização da memória de cada um, acessíveis a todos, para serem avaliados e questionados, afim de serem checados e corrigidos, dentro dos padrões que a curva oferece.
Baseado em evidências e no método científico, podemos avaliar quem usa mais a memória do que outro, método este, que permite ser verificado, também por si mesmo. O conhecimento através da literatura, plasma a mente do ser humano e facilita a ionização dos neurônios, para assimilar quaisquer outros tipos de assuntos, aumentando o grau de utilização da memória.

Resumindo
Não há privilégios na vida espiritual, a Alma (a decodificadora) terá que orientar o Eu, passo a passo, por todas as etapas, nas espirais da “Hélice de Evolução”, até alcançar o arquétipo previsto por DeusYHWH. Ninguém pode ser intermediário nessas passagens, vivendo uma etapa ou uma espiral, em lugar de outro, cada passo de “um Eu”, deixa seu registro individual, no “Akasha” que é cumulativo.

Conclusão:
A Natureza não perdoa.
O Universo está em equilíbrio como está, se tentar fazer algo que O tire do equilíbrio sofrerá as conseqüências.
Não podemos ajudar os outros, se fizermos por eles, aquilo que eles podem e devem fazer por eles próprios..
Ninguém pode pagar por deslizes de outrem e nem sofrer ou ser “castigado” por “pecados” cometidos por outrem.
Cada um é responsável pelo que é.
Os apetites dos direitos, reivindicados pelo sindicalismo, procurando sempre levar vantagens em tudo, conseguiram inverter a norma universal da criação, não dando a cada um, na razão do que vale, e sim, atribuir o mesmo valor a todos, como se todos se eqüivalessem.
Esta posição assumida em nome dos direitos dos trabalhadores, está criando a organização da miséria. Em vez de criar a supremacia de uma sociedade justa de trabalhadores, está destruindo a motivação dos mais competentes e desequilibrando a harmonia entre patrões e trabalhadores, atropelando a lógica e a justiça, ignorando que os direitos sem os seus respectivos deveres, é… a filosofia da miséria.
Se os Políticos, as Religiões, os Sindicatos, a sociedade e os sindicalistas que tornaram governos, não conseguiram e nem poderão igualar, aqueles que a Natureza gerou desiguais, cabe a cada um, dentro dos seus limites, reagir por si só, superando as desigualdades nativas, usando seu Instinto de Observação, na educação, na cultura, na ética, no trabalho e na perseverança. …..

……..Tal é a missão do ser humano competente……

Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA
Divino – Dezembro – 2005

Editado por – Charrir em 23 Julho 2006 00:12:12

Este post foi lido 374 vez(es).

Este post foi lido 374 vez(es).