Comportamentos Humanos

Olá amigos leitores, vejam como eu compreendo os comportamentos humanos. Façam críticas. Abraços…charrir

Comportamentos Humanos

O ser humano, sem exceção, terá de ter consciência e conhecimento, que sua natureza, está sujeito a duas manifestações intrínsecas, que a inteligência comum desconhecem e que é à base da nossa existência, são elas:
a) – Manifestações Involuntárias não podem ser governadas.
b) – Manifestações Voluntárias que podem ser governadas.

Manifestações involuntárias, são manifestações que nascem, quando encontramos atributos nas pessoas que observamos, ou prazeres nos objetos que utilizamos. Não pode ser governada, nem pode ser reprimida, só pode ser compreendida, quando usamos o “instinto de observação”, nas convivências com as pessoas ou com objetos observados.

Nas manifestações involuntárias encontramos:
Amor, Altruísmo, Compaixão, Crença, Conhecimento, Discernimento, Espiritualidade, Empatia, Fidelidade, Fraternidade, Generosidade, Humildade, Honestidade, “Insight”, Intimidade com DeusYHWH, Luxúria, Liberdade, Medo, Moral Elevada, Prazer, Perfeição, Sensibilidade, Verdade, (são as manifestações reais).
Angústia, Arrependimento, Ciúme, Depressão, Ira, Ódio (são as manifestações falsas, por concepção de falsas manifestações Voluntárias).

Manifestações voluntárias, são manifestações que comandamos conforme a necessidade dos segmentos que estamos vivenciando e o interesse egoístico de cada um.
Na manifestação voluntária, procuramos estar bem com todos, preferindo errar com a maioria do que acertar sozinho, não preocupando com a verdade nem com a lógica, o importante é estar de bem com a maioria.
Nas manifestações voluntárias encontramos:
Apego, Ambição, Bajulação, Caridade, Cobiça, Conselho, Egoísmo, Fanatismo, Felicidade, Fé, Hipocrisia, Imitação, Interesse, Julgamento, Mágoa, Orgulho, Obsessão, Pena (dó), Poder, Rancor, Renuncia, Repressão, Ritual, Sofrimento, Vaidade, Vício, Vingança, são manifestações reais.
Auto flagelação, Carma, Castigo, Céu, Diabo, Dogma, Inferno, Salvação, Livre Arbítrio, Misericórdia, Pecado, Perdão, Purgatório, são manifestações comandadas com concepções falsas.

O Instinto de observação é desenvolvido na convivência com nossos semelhantes e com os objetos observados, buscando harmonia com ponderação, com tolerância e compreensão.
A maneira que o ser humano tem, para estar em harmonia, na convivência com os outros, encontrar o equilíbrio com tolerância, compreender as manifestações Involuntárias e evitar o comando das manifestações voluntárias, é usar o Instinto de Observação, que na realidade, é:
Uma condição intrínseca de qualquer ser vivo, é uma Energia que está dentro de cada um, a única função genética que a Natureza dá gratuitamente sem discriminação, sendo mais desenvolvido no ser humano, que faz os registros na memória de suas experiências.
E é a chance que o ser humano tem para:
1 – Sair do lugar comum, ultrapassar a limitação Psíquica.
2 – Alcançar novo estágio no Nível do Estado de Consciência.
3 – Rasgar a cortina da ignorância, que veda os olhos, para que
não se vejam, as coisas reais geradas por DeusYHWH.
4 – Aumentar o Nível de Inteligência,
5 – Elevar os Níveis Referenciais.
6 – Desenvolver no Pensamento, a Criatividade e a intuição.
Devemos ser consciente que a vida é um eterno vir a ser. Hoje estamos diferentes de ontem e estaremos diferentes amanhã, que estaremos sempre aprendendo, buscando a verdade em todas as áreas.

Assim devemos procurar compreender e conhecer a nós mesmos e tentar orientar a Energia de Agir, que está dentro de cada um e que nos move, que nos direciona Involuntariamente, sem que nós não “a” percebamos, a seguir uma rota que nos leva a harmonia com o Universo.

Como exemplo posso lhes dizer, que Cristo foi criado como uma figura jovem, bonito, olhos verdes, nariz afilado, corpo atlético, tudo isto dá inveja a qualquer galã de novela ou cinema….mas…
Imagine se Cristo fosse criado como sendo, uma mulher, de 80 anos, 150 quilos, 1,52m de altura, careca e nua, aproximando de você dizendo; – “eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai se não por mim” – e acrescenta…- “crê em mim e terá a vida eterna” – Pergunta-se…..
Qual dos dois Cristos merece mais credibilidade?
Esse chavão de “amor”, é muito mais envolvente do que possa imaginar uma inteligência comum. Uma coisa é certa, o amor, não pode ser governado, a não ser que a pessoa queira viver no Mundo da auto enganação.

Nesses 6.850 anos de civilização, a ciência estabeleceu que:
O conhecimento explicativo e contemplativo foi substituído pela busca prática e científica em dominar a natureza.
Conhecer não é ver essências, mas sim, manipular a matéria.
Conhecer é prever as condições necessárias para ocorrer os eventos, usando o critério, para verificar a validade de uma teoria científica, em prover o comportamento de um fenômeno da matéria, conforme previamente estabelecido, só com esse domínio, a natureza poderá ser controlada.

Só alcançamos o verdadeiro através da prática e da experiência
Essa sistemática, eliminou os conceito pragmático e os imponderáveis, mostrando que o conceito não pode ser usado como explicativos, para fenômenos dentro da lógica física, astronômica e biológica.
O avanço do conhecimento científico dos fenômenos da natureza, relegou o conceito empírico para os setores mais obscuros da realidade, abrindo brechas para o empirismo pagão, daí a proliferação de conceitos, sem nenhuma estrutura científica.

A lógica foi destituída de sua significação metafísica, passando a ser encarada, como uma simples cópia passiva do sensível, embotando a mente, para não ultrapassar os limites das experiências, limitando com isso, a neurolingüística de comunicação, sobre o teor, que poderia trazer o consenso dentro da lógica, sobre tudo que achamos que sejam mistérios.
Heinrich Rickert (1863 -1936) escreveu em 1930. A Lógica do Predicado e o Problema da Ontologia, onde fala que a tradição teológica, a empírica e a mística, criaram “um problema habitacional para Deus”, eliminando-O como objeto de conhecimento, tornando impossível, provar ou negar Sua existência.

Com isso chegaremos à eliminação de qualquer assunto.
A hipótese explicativa da criação do Universo, nessa ótica, torna um impasse, que caberá só a ciência, a responsabilidade e a incumbência de pesquisar e desvendar o enigma do assunto, esclarecendo com argumentos convincentes, essa tão discutida “criação do Universo”.

Comportamentos Religiosos
Devemos nos guiar pelo conhecimento estruturado numa lógica, que tenha passado pelo crivo da crítica e não numa fé cega, que embota nossa inteligência, gerando o medo de questionar.
A experiência mostra que a preocupação em acreditar se as literaturas e os vultos sagrados existiram ou não, é prejudicial à evolução humana. O mais importante, é buscar através das pesquisas e dos estudos, o conhecimento individual em torno de quaisquer assuntos, deixados pelos mais estudiosos e pelos pesquisadores em suas obras de grandes valores, que transmitiram ensinamentos sobre a história da humanidade.
Quando buscamos saber a verdade sobre as literaturas e os vultos sagrados, devemos estar cientes, que a rigor, ninguém jamais conseguirá provar se as literaturas e os vultos sagrados existiram ou não.

As consagrações das literaturas e dos vultos sagrados, feitas pelos seus respectivos seguidores, em respectivas épocas, tiveram efeitos muito fantasiosos ao entrarem para a história, daí acabaram sendo verdadeiros enigmas e mitos.

Os textos que lemos, não passam de teorias fantasiosas, que foram concatenados de outros textos, usando opiniões de pesquisadores e de historiadores diferentes.

Ninguém possui a verdade completa, uma vez que a verdade não é linear, não tem dono, é transcendental e nasce na convivência virtual com DeusYHWH e na intimidade empática, nos momentos de reflexões, que cada um vai tendo com Ele, em que, essa “Inteligência Máxima”, vai nos conscientizando dessa verdade, à medida que vamos questionando a nós mesmos, sabendo que uma partícula Dele, vive dentro de cada um, daí a verdade, ter aspectos diferentes em cada ser humano.
Ao classificarmos os assuntos e os vultos sagrados, como vulneráveis e elucubrativos, os fiéis reagem violentamente, tachando quem assim procede, são cépticos, hereges e até costumam classificar como ateus, por não conhecerem a magnitude das coisas que estão fora do alcance do ser humano, acrescentando, por serem mistérios de DeusYHWH.
Em alguns estudos filosóficos, muitos textos, não têm consistência científica, mas com muito sentido prático, que deixam argumentos convincentes de serem reais, nesses casos devemos seguir os conselhos de Budha;
– “o equilíbrio é adquirido através do caminho do meio.” –
Realmente, nestes casos, devemos balancear o lado céptico com o lado místico, mas devemos estar atentos, sem medo de pensar, para analisarmos dentro da lógica e do crivo da crítica, a compreensão dos fatos, para que possamos, aceitar ou negar, conforme o nosso Nível de Estado de Consciência, sem darmos demasiado valor as coisas do Plano Terrestre.

Não tendo argumentos, não devemos discutir, nem ficar pedindo provas a ninguém, daquilo que não temos noção do que seja. Também essa sistemática se aplica quando se trata de “provar” a existência ou não de seres que viveram a “n-centos” anos atrás. Devemos analisar dentro da lógica, a possibilidade de ser verdadeira ou não, o algo que está sendo afirmado, no entanto, não devemos ter medo de buscar a verdade, mesmo que essa verdade, está em desacordo com as nossas crenças.
A união dos fragmentos de conhecimento de cada um, sem discriminação, pode nos oferecer um somatório de grande valor, com todos esses fragmentos, o qual, formaremos um verdadeiro acervo de conhecimentos, onde encontraremos grande parte da verdade.
No entanto, não devemos esquecer de intercambiar esses conhecimentos à medida que vamos assimilando, para que outros também se compartilhem deste tesouro que é o conhecimento.

Quando a Divindade manifesta, como Ser, em um Corpo Físico, em qualquer Plano Físico, esta manifestação ocorre conforme o Nível do Estado de Consciência e o nível de crédito acumulado, trazido de sua última existência no Plano Anterior.

A manifestação da Divindade (Ser), num determinado Plano Físico, apresenta características peculiares em cada ser vivo.
Nesta manifestação no Plano (Terra), o local, a família, as classes; Social, Cultural, Religiosa e Filosófica, são requisitos preestabelecidos. Com estes requisitos, fica limitada sua função Psíquica, em decorrência do DNA e RNA da Família escolhida. Nestas condições, só lhe resta uma única Liberdade, o uso do Instinto de Observação, uma manifestação intrínseca de todos os seres vivos, que é o instrumento que lhe dará chance de superar esse limite da função Psíquica.

Superar o Limite, é ultrapassar uma dificuldade, um problema, um obstáculo. A melhor forma de superar esse limite, não é combater, não é reprimir nem vencer, mas sim, compreender.
A Luta, a Defesa, a Vitória e a Violência são armas do Eu, levando à repressão e à desarmonia e às vezes a neurose, já a compreensão leva à Harmonia e ao Amor.
Reprimir nossos instintos e nossos prazeres, é lutar contra nós mesmos, essa luta mostra que, nem sequer amamos, nós mesmos. Como poderemos amar nossos semelhantes?
Assim devemos procurar conhecer a nós mesmos e tentar compreender a:
1 – Energia de Agir, (Ser) que está dentro de cada um, nos
orienta Involuntariamente, sem que “a” percebamos.
2 – Resultante da somatória das energias elaboradas pelos
hormônios das nossas glândulas endócrinas, que nos dá
motivação para vivermos.
Proceder assim, requer muita coragem do ser humano, terá que pensar sozinho, sem Intermediários.

O comportamento humano, é na verdade, uma manifestação impulsionada pela Energia de Agir (Ser), e pela Resultante, função das caracteres genéticos do DNA e RNA (genoma), que estão dentro de cada um. A vontade da Consciência Cósmica, (Inteligência Intuitiva), está geralmente procurando satisfazer uma necessidade involuntária, previamente programada, acontece que a Consciência Física (inteligência comum) não tem acesso a essa vontade, por estar dentro de uma faixa limitada pelo Mundo Emocional (limitação Psíquica, visto acima), conforme o Nível do Estado de Consciência e do conhecimento espiritual de cada um.
Essa Energia de Agir (Ser), procura orientar o instinto de observação, Intrínseco em todo ser humano, que compreendendo a Resultante, pode criar a chance de superar essa limitação Psíquica, em busca de algo que ele precisa conhecer, se não conhecer, estará sempre mudando de objetivo, achando que procede assim porque tem o tal Livre Arbítrio.
Isso não é Livre Arbítrio, e sim, “opção de alternativa”.

Para haver o Livre Arbítrio, seria necessário que o ser humano, Eu, fosse um e o Ser (partícula de DeusYHWH), fosse outro (dicotomia), não é isto que o Cristo disse em…Jo 17 de 20 a 23.
Se houvesse Livre Arbítrio
Ninguém Morreria
Ninguém passaria fome
Ninguém seria pobre
Ninguém ficaria doente
Ninguém seria analfabeto
Ninguém seria feio
Podem alegar que o Livre Arbítrio é praticado antes do nascimento….aí……
Ninguém nasceria em Países pobres.
Ninguém nasceria em países com guerra.
Ninguém nasceria de pais analfabetos.
O ignorante, o analfabeto, o pagão, não têm consciência do seja Livre Arbítrio.
O Livre Arbítrio deveria ser eterno e em quaisquer circunstâncias e não em situações privilegiadas.
O preso pode fazer o que quer?
O desempregado pode comprar o que quiser?
Será que esse tal Livre Arbítrio, existe para estes dois casos?

Quando o ser humano desenvolve seu Instinto de Observação, adquire consciência de coordenar as ações das Energia de Agir com a Resultante, ponderando de tal maneira que, ficará sabendo que não tem Livre Arbítrio, começando a ter um comportamento estruturado na inteligência intuitiva, que é a única maneira de conhecer suas necessidades involuntárias, com isso, poderá orientar a vontade da Consciência Cósmica (disciplinando o RNA, principalmente o mRNA na transcrição), que impulsionará a Resultante nas motivações para viver e a Energia de Agir (Ser), para satisfazer as necessidades das Leis Cósmicas, superando o Limite Psíquico, o que facilitará a interação com a Energia Divina, – DeusYHWH – alcançando uma boa qualidade de vida..
Isto é a interação de nós com o Ser (parte do todo DeusYHWH).
Ora! Para a maioria, ultrapassar os conceitos de “n-centos” anos de tradições “verdadeiras”, que estão escritos nos Livros Sagrados, como palavras de Deus, que foram escritos por pessoas inspiradas por um “Deus verdadeiro”.
Isso não é fácil, veja porque;
O Instinto de Observação atrofiado, imposto pêlo intermediário, limita a Inteligência intuitiva, comprometendo o Estado de Consciência do ser humano, fazendo com que, ele sinta carente de Algo (que na realidade é DeusYHWH). Mas a sua limitação não sabe definir o que seja. Assim o ser humano vai formular conceitos errados sobre as coisas reais e uma busca desenfreada de objetivos indefinidos, para suprir essa carência, levando a um comportamento conflitante com o padrão normal.
Para mostrar superioridade, o Eu, agiganta sua Fé numa Religião, buscando suprir sua carência, ouvindo em cada intermediário inteligente, ou lendo um Livro Sagrado (Bíblia), a representação de DeusYHWH, com isso, ele deposita toda sua Fé naquele ídolo Religioso ou naquele Livro Sagrado. Mas ele não vai muito longe. As decepções, mais cedo ou mais tarde, vão aparecer.
Sua fidelidade ao Ídolo Religioso ou ao Livro Sagrado, o torna prisioneiro das Coisas sem lógicas, dos Mitos, dos Dogmas e dos Rituais, que a Religião ou o sistema lhe impõe, tornando-o incapaz de compreender sua carência, ficando em conflito consigo mesmo, diante da fragilidade do sistema e da sua falta de estrutura, para compreender que DeusYHWH, habita como Ser, dentro de cada um, e não em “aglomerados”, ouvindo os conceitos de um intermediário, ou lendo um Livro Sagrado.
Essa desilusão, o torna ainda mais carente. Para compensar isso, o Eu desenvolve nele, um alto grau para o julgamento. Com esse pensamento tendencioso, ele acha que sendo fiel a esse ou aquele intermediário, seguindo esse ou aquele Livro Sagrado, seu comportamento, é correto e elevado, achando que descobriu a verdade, que os conceitos contidos no seu Livro Sagrado, são verdadeiros, transcritos por fontes verdadeiras, e que todos acreditam, contrariar isso “é um absurdo”, pois teria que destruir todo um conhecimento de “n-centos” anos de tradição e começar tudo de novo. Isso coloca-o em conflito com outras Religiões, que não seja a sua. Um ser humano carente de DeusYHWH, não tendo consciência das coisas Divinas, acreditando só nos conhecimentos passados por intermediários, dificilmente encontrará o objetivo que suprirá sua carência.

Para encontrar DeusYHWH que suprirá nossas carências, não precisamos de ídolos religiosos, não precisamos imitar ninguém, nem ir às sinagogas, nem ir a nenhum culto religioso, basta entrar no Universo do nosso quarto, meditar sozinho no silêncio, aí sim, cada um individualmente, encontrará o Ser, um fragmento de DeusYHWH, que está dentro de cada um.
O Ser Humano não se expressa de uma mesma maneira em duas situações iguais, isto se deve ao seu Nível Estado de Consciência, que é dinâmico.
O Nível do Estado de Consciência do ser humano, é o gradiente que mede a interação entre Eu, Alma e o Ser.
Por mais sábias que sejam as palavras, contidas na mensagem (signo), que é transmitida às pessoas, a compreensão dos ensinamentos contidos nessa mensagem, será sempre diferente em cada indivíduo, devido ser diferente o Nível do Estado de Consciência de cada um..
Existem vários Níveis dos Estados de Consciências, todos com os níveis referenciais diferentes.

Salvador 2 de agosto de 2006

Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Editado por – Charrir em 02 Agosto 2006 14:34:02

Este post foi lido 321 vez(es).

Este post foi lido 321 vez(es).