A Busca dos Vultos Sagrados

Olá amigos, segue outro artigo, desta vez falando sobre os vultos Sagrados. Abraços…charrir

A Busca dos Vultos Sagrados

Ao despertar do Mundo, há “n-ilhões” de anos atrás, muito se tem escrito sobre, Ciência, Filosofia e Religião. A intenção, é transmitir às sucessivas gerações, informações que possam ser corretas, numa contribuição à história da humanidade.
No ocidente, os livros foram escritos com uma natureza, que nos apresenta características históricas, mesmo em se tratando de assuntos religiosos.

Assim, os relatos dos Vultos Sagrados, chegaram até nós, com aspecto mais histórico do que religioso.

Muitos escreveram sobre os Vultos Sagrados, dando biografias, de conteúdos semelhantes, tentando chantagear as pessoas, para despertar a Fé, através do esboço biográfico pelo lado humano, antropomorfizando essas figuras, para que o fiel possa comparar os comportamentos desses Vultos Sagrados, com seus próprios comportamentos.

A Controvérsia

Apesar de toda esta literatura que está sendo produzida, por pesquisa contínua, a análise para o esclarecimento do conteúdo desse assunto, o público em geral, não possui estrutura cultural para assimilar outros assuntos que não sejam de benefício imediatos para si.

A falta das informações formais a respeito das religiões e das mitologias, deixa a maioria dos indivíduos em conflitos consigo mesmo.
A respeito dos assuntos religiosos, por exemplo, a maioria das pessoas, aprende em suas escolas e suas igrejas, informações herdadas de outros que também herdaram, o que dificulta encontrar a verdade, dada essa cadeia de transmissão de conhecimento, passar a ser oral e no campo empírico, dando margem para criar fantasias sobre os Vultos Sagrados.
Contudo, este é um debate de perspectivas reais, onde poderemos exercitar nosso “instinto de observação”, descartando as coisas sem lógicas, que os intermediários interpolam nos trechos históricos, para dar uma conotação “fantasiosa e milagrosa”, para arrancar dos fiéis à fé cega, tão necessária para evitar os questionamentos.
Embora essa busca não possa ser evidente nas publicações, que são encontradas prontamente nas livrarias populares, mas, quando examinamos este assunto, encontramos respostas que mostram, repetidamente, caracteres dos Vultos Sagrados, mitológicos, criados pelos próprios seres humanos, similares aos deuses da Grécia, de Roma, do Egito, da Suméria, da Fenícia, da Índia e de outros países.

Todos com virtudes e atributos semelhantes.
Os caracteres destes Vultos Sagrados, foram baseados na “Astrologia”, em “estudos astro teológicos”, relacionados ao movimento do “Sol”.
Para os antigos, o Sol é a “luz do mundo”. Para eles o Sol é o Deus verdadeiro porque “vem do céu, e todos vêm”. Fornece calor a Terra, forma a luz e evita as trevas.

Pela ciência, pode ser comprovado, que o Sol tem movimentos e passa pelas doze casas do zodíaco. Assim os “estudos profundos”, feitos pelos entendidos, mostram, as características e os predicados, da “personificação do Sol”, num mapa real astrológico, relacionando nesse mapa real, os personagens, “deuses-homens”, com as mesmíssimas características “personificação do Sol”.

Vejamos: 

O dia 25 de dezembro, era um marco que os povos antigos conheciam, em que o Sol, faz o movimento anual para o sul até 21 ou 22 de dezembro, é o solstício do inverno. O Sol, aparentemente, pára o seu movimento para o sul, por três dias, invertendo o movimento, começando a se movimentar no dia 25, para o norte.

Durante esse tempo, de 21 a 25 de dezembro, os antigos diziam que o “Sol deus” tinha “morrido” por três dias e “ressuscitou outra vez” em 25 de dezembro.
Assim os “deuses-homens”, deveriam morrer por três dias e ressuscitar outra vez.

O calendário originalmente, começava na constelação Virgem, e o Sol conseqüentemente “nasceu na constelação virgem”.
Daí os “deuses-homens” terem que nascerem de “virgens”.

Por estar em ebulição, o Sol visto a olho nu, tem aspecto de uma coroa, vermelha, dando a impressão de espinhos com sangue
Assim esses “deuses-homens”, recebem em cerimônias, uma “coroa de espinhos.

O Sol percorre as doze casas do zodíaco durante o ano.
Assim os “deuses-homens”, deveriam ter doze seguidores que são os doze apóstolos.

São eles, os grandes Messias (deuses-homens):

Créxena…………….. ..4800aC. | Moisés (Hosarsif)……1300aC
Rama………………. ….4100aC. | Orfeu………………1200aC
Krishna…………………3500aC | Buda……… …563 – 476aC.
Horus…………………..2900aC. | Confúcio……….551 – 479aC.
Gilgamesh……………….1980aC / Apolon. Thyana…..9aC – 87dC
Hermes Trimergisto……. 1900aC. | Jesus………….5aC. – 28dC.
Zoroastro……………….1700aC | Maomé…………570. – 632dC.

Esses Personagens, são partes de um contexto único padronizado, mudando apenas “nomes”, mas com características semelhantes e aceitos nos meios eruditos, como figuras históricas.

O comportamento do ser humano, é na verdade, uma manifestação impulsionada pela resultante da somatória das energias dos hormônios das glândulas endócrinas, em cada circunstância, conforme os caracteres genéticos do DNA e RNA, dentro de cada um. Esta manifestação, procura satisfazer uma necessidade involuntária, previamente programada, para cada circunstância, a qual, a Consciência Física, não sabe, por estar dentro de uma faixa limitada pelo Mundo Emocional, (limitação Psíquica, social, econômica, social), conforme o Nível do Estado de conhecimento de cada um.
Essa resultante, pode ser orientada, desenvolvendo o instinto de observação, o qual é intrínseco de qualquer ser vivo, mais aguçado no ser humano, que bem utilizado, pode criar a chance de ultrapassar essa limitação Psíquica, em busca de algo que, ele precisa formular consciência do que quer, caso ele não formule essa consciência, estará sempre reformulando seus objetivos fantasiosos, por achar que tem o “tal” do Livre Arbítrio, sem se dar conta que está num deserto à noite, procurando um oásis que não existe.

Sabemos que todos os segmentos, estão estruturados em Leis Perfeitas, Infalíveis e sem Privilégios, atuando no equilíbrio dinâmico da expansão do Universo, num campo Energético unificado, que é DeusYHWH, coordenando as seqüências dos efeitos provocados pelas diversas causas, num jogo criativo, dando um sentido único da universalidade, que infelizmente, poucos têm a sensibilidade para perceberem.
Uma análise desta teoria unificada, juntando pesquisas, sobre o comportamento humano, desde que “o homem de Neandhertal”, era menino, conclui-se que; DeusYHWH, sendo a Essência Máxima de Energia Cósmica, esteve, está e estará sempre, interagindo em tudo isto.

Salvador – abril – 2006

Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Editado por – Charrir em 10 Abril 2006 06:09:22

Editado por – Charrir em 10 Abril 2006 06:10:53

Este post foi lido 297 vez(es).

Este post foi lido 297 vez(es).