Ola amigos leitores, aqui estou de novo, desta vez falando da Hostória da Reincarnação. A braços…charrir

Ola amigos leitores, aqui estou de novo, desta vez falando da Hostória da Reincarnação. A braços…charrir

A História da Reencarnação.

Até o ano 321 de nossa era, o Cristianismo pregava a Reencarnação, que é uma cultura religiosa oriental proclamada há milênios antes da era cristã. Era um segmento incontestável, o qual, procurava nortear os princípios da Justiça Divina, dando oportunidade ao ser humano, para refletir nos seus comportamentos, recebendo chances de refazer alguns acidentes de percursos e recomeçar um novo segmento, que possa contribuir com maior fraternidade Universal em outro Plano.

Em 538, o General Belizário (503 – 570), homem de confiança da Imperatriz Theodora (504 – 576),deportou o Papa Silvério (papado 536 – 538), impondo o Papa Virgílio (papado 538 a 555), cumprindo determinação da Imperatriz.

Em 553 o Papa Virgílio (papado 538 a 555), atendendo pedido da Imperatriz Theodora, aprovou, (numa decisão política, por interesses do Império Bizantino), o Concílio de Constantinopla (ex Bizâncio e atual Instambul). No Concílio, foi eliminada da literatura Cristã, a concepção da Reencarnação, substituindo-a pela Ressurreição, mesmo contrariando os cientistas da época, que protestaram com veemência, defendendo os princípios da ciência, por ser um absurdo, um ser morto, já desintegrado em todos os seus elementos orgânicos constitutivos, possa voltar a ser vivo novamente, no mesmo corpo, com as mesmas características anteriores, por ocasião de um suposto Juízo Final……Muitos morreram como hereges, por não admitir a Ressurreição.

A Imperatriz (ex atriz) Theodora, era esposa do Imperador Flávio Pedro Justiniano (482 – 565), Theodora, era escravocrata, orgulhosa e muito preconceituosa, adotava como religião o Monofisismo (só admitem a natureza Divina para Jesus), sendo orgulhosa existindo a Reencarnação, ela temia retornar ao mundo, reencarnando numa escrava de pele negra, por isso, desencadeou uma forte pressão sobre o Papa da época, Virgílio, que subira ao poder através da intervenção do general Belisário, a pedido dela, logo o Papa Virgílio, não tinha moral para negar as pretensões e os desejos de Theodora.

O Concílio realizado em Constantinopla, no ano de 553 d.C, rejeitou todo os estudos sobre a reencarnação feito pelo Padre Emanuel Orígenes (185 – 252) de Alexandria, um dos maiores Teólogos da Humanidade, que pesquisava os fundamentos da Reencarnação. As decisões do Concílio condenaram, inclusive, a reencarnação admitida pelo próprio Cristo, em várias passagens do Evangelho, sobretudo quando identificou em João Batista o Espírito do profeta Elias, falecido séculos antes, e que deveria voltar como precursor do Messias (Mateus 11:14 e Malaquias 4:5). Também modificaram o trecho

Notas: Trechos originais, seguindo a Lógica, sobre a reencarnação…..
Registrados na Septuaginta e nos Unciais, que são os
originais da Bíblia, mas transcreveram com adulterações.

1 – “Conheçam minhas Leis que são simples e infalíveis, para
aqueles que desafiarem essas Leis, saberão que sou zeloso
e cobro até a terceira ou quarta Encarnação, o cumprimento
dessas Leis….(escreveram Ex 20, 5)

2 – Não acreditem em todos que se dizem “inspirados”, mas sim
naqueles que reconhecem que DeusYHWH encarnou em
Jesus Cristo…….(escreveram 1 Jo 4, 1 e 2)

3 – Elias reencarnou como João Batista, para transmitir os
ensinamentos Divinos, mas, não O reconheceram e O
sacrificaram……(escreveram Mt 17, 11 a 13

4 – Cristo levou Pedro (que não queria acreditar), para o alto da
montanha, onde Cristo, evocou Moisés e Elias, que iriam
transmitir mensagens a Pedro…..mas, Pedro morrendo de
medo desmaiou….(escreveram Mt 17 de 1 a 5)

O Papa reunido com a assembléia dos Bispos, no Segundo Concílio de Constantinopla, com a soberana decisão, “acharam por bem”, afirmar que reencarnação, era heresia, quem defendesse, deveria ser excomungado.

Comentários
Theodora: ao invés de fazer uma reforma, que pudesse levar ao povo, uma fraternidade com equilíbrio, para um melhor destino no futuro, no entanto, continuou egoísta no orgulho e no medo de voltar reencarnada em uma escrava preta, preferindo a ilusão de modificar a verdade, com leis forjadas pelo próprio ser humano, na falsa esperança de eliminar a Reencarnação da nossa vivência gnóstica.

Salvador 1º. de maio de 2005
Charrir Kessin de Sales – OJÉNNA

Editado por – Charrir em 08 Abril 2006 05:15:05

Este post foi lido 379 vez(es).

Este post foi lido 379 vez(es).