Estatutos da Criança e do Adolescente

O Estatuto da criança, do adolescente.
Ao proibir, o Estatuto finge que protege as crianças e os adolescentes, com a bandeira de erradicar o trabalho infantil e adolescente, ignorando que existe um relógio biológico que marca os estágios da vida, com ciclo
de sete anos cada. O primeiro ciclo de 0 a 7 anos, adaptação à família e ao mundo, o segundo de 7 aos 14 anos, neste ciclo acontece a concepção da aprendizagem, o terceiro ciclo dos 14 aos 21 anos, que é o ciclo de adquirir caráter, responsabilidade e amadurecimento do DNA.

Nota: Os “donos da verdade”, acharam por bem, poupar os adolescentes dos trabalhos nesta faixa etária, ignorando que a proteção nestas circunstâncias, acarretam consequências desastrosas, para o adolescente na aprendizagem na Reputação das responsabilidades de suas ações e no amadurecimento o DNA, nesses ciclos. Ao se emancipar aos dezoito anos irá perder a “proteção” das leis que o protegia, terá que trabalhar, continuar a vida como ela o espera, no mundo como realmente ele é, aí… torna difícil aprender a arte de lutar por si só e ter Reputação para assumir a responsabilidade que lhe cabe no dia-a-dia para viver com dignidade e usufruir uma boa qualidade de vida.

Comecei a trabalhar aos nove anos, na roça, sem escola, sai da roça para servir a pátria na Aeronáutica, apedeuta, mas com responsabilidade e muita disposição para aprender a trabalhar com visão no futuro, tanto assim, que em 1963, eu me formava em Engenharia. Fiz o concurso para Petrobrás, passei e exerci muitas chefias, permanecendo por 30anos. Hoje aposentado com 91 anos, tornei-me escritor, com 19 livros publicados, com site….charrir.com.br… Facebook, WhatsApp e outros. Se no meu tempo tivesse essa hipocrisia, hoje não estaria escrevendo isto.

Praia do Forte 13 de setembro de 2020 – Charrir K. de Sales – OJÉNNA

Este post foi lido 12 vez(es).

Este post foi lido 12 vez(es).